Com muito interesse em informática e com poucos recursos para me aprofundar no assunto, tinha um pc 486 em casa para fazermos impressões em uma matricial, não sabia muito mais além de ligar e desligar para digitar e imprimir algumas coisas para o meu pai, em 1999 adquiri uma revista de informática que se fazia acompanhar de uma disquete 3.5″ com uma cópia do linux, lógico que para uma disquete só se podia executar a instalação via linha de comandos.

A revista trazia uma pequena indicação para a instalação sem muitos detalhes, coloquei a disquete e arranquei o pc ao aparecer a linha de comandos com o prompt “#” , segui os passos até digitar o comando que iria carregar o particionador, quando vi aquela confusão a minha frente, desisti logo, pois sabia que iria estragar os dados do meu disco que vinha com Windows 98 na altura, e para sair daquela tela, a revista não explicava e o receio de desligar o pc diretamente no botão, imagina o medo do computador não ligar mais, com o coração a saltar, ao voltar a ligar o pc para o meu alivio Funcionou!, não sei onde foi parar a disquete 😀 .

Suse Linux 6.4

Já em 2001, estava no 2º ano do curso de tecnólogo em informática com alguma noção na área técnica de informática, ganhei de presente do meu futuro sogro o Suse Linux 6.4 em uma caixa muito bem organizada com cds e manuais, nesta altura me aventurei a instalar o Linux novamente no meu velho computador, fiz backup dos meus dados, bem não imaginam o que sofri para particionar o disco (não que fosse difícil, já era um particionador gráfico) e depois de muitas tentativas de instalação…, resultado, não conseguia por a trabalhar as duas partições em conjunto (Windows e Linux) e tive de voltar a instalar o meu velho Windows 98.

Em 2003 tive um contacto mais aprofundado com o Linux Red Hat, foi na faculdade (já em Portugal) e por consequência se eu quisesse fazer os trabalhos em casa tinha de o instalar, desta vez já com alguma experiência e com a Internet mais acessível consegui instalar, posso dizer que este foi o começo de um ótimo relacionamento.

Ubuntu

Depois passei ao Fedora e de 2005 para frente passei a usar o Ubuntu até a versão 11.04 Unity DE (Ambiente Gráfico), com o lançamento desta última versão foi uma decepção em minha máquina, sempre gostei da DE Gnome antiga, tive de procurar outras alternativas.

Ubuntu

Em 2011 passei a utilizar o Arch Linux com 3 partições no meu HD (Windows, Ubuntu e Arch), não imaginava no que tinha me aventurado, durante alguns anos não queria outra coisa….O Arch era super leve e executava tudo o que precisava, mas exigia um bom tempo na sua instalação e configuração.

Linux Mint Desktop

Por volta de 2014 me foi apresentado o Linux Mint (derivado do Ubuntu/Debian), tinha 3 partições no meu disco, uma com o Windows, o Linux Arch (principal) e outra para teste de distros, nesta partição entrou o Linux Mint, instalei em minutos com uma facilidade, encontrou os drivers todos e até softwares de terceiros (codecs música, vídeo, gráfica, etc), não é publicidade, rodei tudo nele, desde servers, IDEs programação e design, vários browsers, editores de música, imagem, etc, enfim coisas pesadas e aqui estou até hoje com esta distro, acho que é comodismo da minha parte, até agora tem sido minha distro de eleição, experimentei com vários DE’s, utilizo o Linux Mint Cinnamon, para já não perco muito tempo com instalações, também não tenho tanto tempo hoje em dia.

Linux Mint Menu

Deste 2003 até hoje 08/05/2020, passei por várias distribuições Linux, vou citar as que ainda me lembro 😉 – Suse, o antigo Mandrake e Conectiva que veio a resultar no Mandriva, o Red Hat até surgir o Fedora, Ubuntu, Xubuntu, Kubuntu, Debian, Slackware, Kurumin, Bodhi (derivado do Ubuntu com E17) , Arch Linux, Linux Mint e mais uns quantos que só experimentei por momentos.

Quais as vantagens de utilizar o linux?, na minha perspectiva , costuma ser bem mais leve, um arranque bem rápido, uma maior privacidade com meus dados, muitos programas gratuitos e equivalentes aos do Windows como LibreOffice, Browsers, Steam para jogos, Players Música e Vídeo, etc, hoje em dia muita coisa plug and play, ele possui um gestor de aplicativos para pesquisar e instalar seus programas preferidos e caso não encontre, os motores de pesquisa são nossos amigos.

Se você nunca utilizou o Linux e quer experimentar sem instalar, existem muitas distribuições com LiveCd (pode ser usada em uma Live pendrive), é só uma questão de pesquisar e escolher uma distro ao seu gosto conforme e capacidade do pc, recomendo Ubuntu, Fedora e Mint, este último exige um configuração de hardware mais potente.

Qualquer dúvida ou curiosidade que esteja ao meu alcance é só deixar nos comentários, obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu